Fluxo cambial negativo deve bater recorde no ano

Facebook
VKontakte
share_fav

O Brasil deve registrar em 2019 a maior saída de dólares da série histórica iniciada em 1982. Em outubro deste ano, o fluxo cambial registrou saída líquida de US$ 8,49 bilhões, elevando o acumulado do ano para US$ 21,5 bilhões. O pior déficit era US$ 16,2 bilhões, registrado em 1999.

Os dados são do Banco Central e foram divulgados nesta 2ª feira (18.nov.2019) pelo jornal Valor Econômico.

O número deve aumentar até o fim do ano. É resultado da queda de receitas com exportação, a saída de capital estrangeiro em aplicações financeiras e a opção de exportadores nacionais em manter suas divisas no exterior.


A última opção de evitar o recorde negativo foi o leilão de excedentes de concessão onerosa, mas não houve lances de petroleiras internacionais.

A baixa dos juros e da taxa Selic também influenciaram o fluxo cambial, tornando os investimentos no Brasil e o próprio real menos atrativos. A expectativa é que o crescimento econômico leve a uma valorização cambial, ainda que de forma lenta.

Já as reformas previstas para o 2020 e a agenda de privatizações devem atrair mais capital estrangeiro, segundo projeções do BTG Pactual.

Eis abaixo:

ver Blog do Fernando Rodrigues
#fluxo cambial
#déficit fiscal
#desvalorização do real
#economia
#investimentos externos
#desvalorização cambial
#dívida coorporativa