Rede pede a Witzel proteção a porteiro que citou Bolsonaro no caso Marielle

Facebook
VKontakte
share_fav

A Rede Sustentabilidade encaminhou, nesta 4ª feira (30.out.3019), 1 ofício ao governador do Rio de Janeiro, Wilson José Witzel, solicitando proteção da testemunha identificada como “porteiro” na reportagem do Jornal Nacional veiculada na noite anterior. O porteiro, em depoimento à polícia, mencionou o nome do presidente Jair Bolsonaro na investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco (Psol).


Os congressistas argumentam que após a divulgação da suposta conexão de Bolsonaro no caso investigado, o foco tem sido direcionado ao porteiro, que, por isso, precisa ser protegido.

O presidente Bolsonaro solicitou ao ministro da Justiça, Sergio Moro, para que o porteiro do condomínio onde morou, no Rio de Janeiro, deponha novamente a respeito do assassinato.

Para a Rede, essa solicitação acompanhada, posteriormente, de 1 pedido do ministro da Justiça à PGR para requisitar a instauração de inquérito que “pode configurar crimes de obstrução à Justiça, falso testemunho ou denunciação caluniosa”, contra o “porteiro”, abre brecha para eventuais crimes à testemunha.

Segundo o documento (íntegra), “é cristalino que existe 1 movimento para impedir o testemunho livre e desimpedido da testemunha, situação que merece ação imediata e urgente em favor da testemunha”.

ver Blog do Fernando Rodrigues
#moro
#bolsonaro
#justiça
#brasil
#marielle franco
#wilson witzel
#porteiro
#rde