Associação de ateus processa políticos por ida à canonização de Irmã Dulce

Facebook
VKontakte
share_fav

A Atea (Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos) entrou na Justiça com uma ação contra a União, os presidentes da República, do Senado e da Câmara dos Deputados alegando que a viagem de autoridades para a canonização de Irmã Dulce no Vaticano violou ao princípio do Estado laico.

A ação civil pública foi protocolada na 3ª feira (22.out.2019) na Justiça Federal da 1ª Região. A Atea reivindica que Jair Bolsonaro (PSL), Davi Alcolumbre (DEM-AP) e Rodrigo Maia (DEM-RJ) sejam obrigados a devolver aos cofres públicos a verba gasta com a permissão deles. A informação foi divulgada pelo jornal Folha de S.Paulo.


O rito de canonização da brasileira Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, a irmã Dulce, e de outros quatro beatos, foi realizado no 2º domingo deste mês (13.out), na Praça São Pedro, no Vaticano.

A Santa Fé estima que em torno de 10 mil brasileiros participaram da celebração litúrgica. Entre eles, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, Rodrigo Maia, Davi Alcolumbre e o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Dias Toffolli.

Eles viajaram em avião da FAB (Força Aérea Brasileira) e tiveram direito a receber diárias por estarem em missão oficial em 1 país estrangeiro.

Para a Atea, houve “manifesta ilegalidade e inconstitucionalidade na utilização de recursos públicos”.

“Ao subvencionar a viagem de autoridades brasileiras para uma cerimônia de caráter estritamente religioso, o Estado brasileiro e seus representantes ofendem a laicidade do Estado e, consequentemente, o patrimônio público e os interesses difusos da coletividade”, afirma a petição.

“Ação frívola”

O ministro Bruno Dantas, do TCU (Tribunal de Contas da União), usou sua conta no Twitter para se manifestar sobre o assunto. Em resposta ao tuíte publicado pela Folha de S.Paulo com o link da reportagem, Dantas classificou a iniciativa como “ação frívola”.

Reprodução/Twitter

O outro lado

A Presidência da República afirmou que “o presidente da República, Jair Bolsonaro, não participou de comemorações no âmbito da canonização de Irmã Dulce no Vaticano”.

A assessoria de Maia disse que a Câmara ainda não foi notificada do processo e preferiu não se manifestar por enquanto. A assessoria de Alcolumbre não respondeu ao questionamento da Folha de S.Paulo.

ver Blog do Fernando Rodrigues
#bruno dantas
#davi alcolumbre
#bolsonaro
#rodrigo maia
#brasil
#atea
#canonização de irmã dulce