Maia diz que relatório da Previdência será votado na 3ª feira na comissão especial

Facebook
VKontakte
share_fav

O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), deu 1 prazo até 3ª feira (2.jul.2019) para que os governadores, principalmente da oposição, consigam votos a favor da reforma da Previdência. O deemista negocia, em troca dos votos favoráveis, a inclusão dos Estados e municípios no projeto.

Segundo Maia, na 3ª feira (2.jul) será feita a leitura do novo parecer do relator da reforma da Previdência, Samuel Moreira (PSDB-SP). O texto será votado no mesmo dia, independente de acordo com os governadores.

A declaração foi feita após reunião com líderes da Câmara nesta manhã. Eles discutiram os próximos passos da tramitação do projeto. Samuel Moreira também esteve presente.

“Nós marcamos uma conversa na 3ª feira, que será definitiva. Na 3ª feira, com governadores, torço, eu rezo todos os dias, até terça vou rezar. Na 3ª feira teremos esse assunto encerrado”, afirmou.


A expectativa era de que o voto complementar do relator fosse feito hoje, mas a sessão da Comissão Especial que analisa o texto foi cancelada para que houvesse tempo para que Maia negociasse com governadores.

Apesar do adiamento, o presidente da Câmara disse ainda que trabalha para que o texto seja provado no plenário antes do recesso parlamentar, que inicia em 18 de julho.

“A questão é o que nós precisamos para não perder votos. Precisamos que os parlamentares próximos aos governadores compreendam a importância da inclusão dos governadores, colaborarem com os seus Estados, ajudando na aprovação da reforma da Previdência”, afirmou.

Maia afirmou ainda que a aprovação da reforma na Câmara vai mostrar que “a política deu uma solução para a questão previdenciária”.

Sobre o texto de Samuel Moreira, Maia disse que o relatório está 90% concluído, mas que o governo precisa resolver o problema do seu partido, o PSL, que pretende amenizar as regras para os profissionais da área de segurança.

CRÍTICAS DE GUEDES

Questionado sobre as últimas declarações do ministro da Fazenda, Paulo Guedes, nas quais teria dito que o Congresso é uma “máquina de corrupção”, ao criticar mudanças feitas no projeto do governo, Maia disse que precisa do apoio da equipe econômica do governo.

O presidente da Câmara evitou rebater o ministro, mas disse que “sapo morre pela boca”.

“Menos intriga, mais política e mais unidade para gente aprovar a Previdência. Nós precisamos que a equipe econômica volte nos ajudar como nos ajudou até apresentação desse relatório pelo deputado Samuel Moreira [PSDB-SP]. Até ali, o nosso trabalho em conjunto era muito forte. Precisa voltar”, disse.

ver Blog do Fernando Rodrigues
#comissão especial
#governadores
#líderes partidários
#residência oficial
#recesso parlamentar
#congresso
#câmara dos deputados
#rodrigo maia
#reforma da previdência
#samuel moreira