Está 28x mais difícil chegar ao topo da App Store do que há cinco anos

Photo of Está 28x mais difícil chegar ao topo da App Store do que há cinco anos
Facebook
VKontakte
share_fav

Atualmente, existem mais de 2 milhões de aplicativos disponíveis na App Store (e a tendência é que esse número cresça ainda mais). Contudo, ao passo que a oferta de apps aumenta, os softwares mais recentes têm encontrado dificuldade de se popularizarem, segundo uma pesquisa realizada pelo ex-CTO1 do Hulu, Eric Feng.

Para alguns essa constatação é óbvia, afinal, aplicativos “antigos” são mais conhecidos e baixados pelos usuários. Contudo, Feng afirmou que isso nem sempre foi assim, de acordo com dados dos charts da iTunes Store e da empresa de análise App Annie.

O analista explicou que, em 2014, um aplicativo posicionado entre os mais populares da App Store estava disponível em média há apenas dois anos (ou seja, havia sido lançado por volta de 2012). Atualmente, os apps dessa categoria estão disponíveis, em média, há mais de cinco anos, sendo quase 28x(!) mais difícil que um novo app suba para o topo das paradas da loja agora do que há meia década.

O Facebook, por exemplo, é responsável pela maior parte da lista de aplicativos mais baixados da App Store, como o Instagram, o WhatsApp e o Messenger (além do app principal da própria rede social). Tais softwares não dominam o topo da loja da Maçã só porque foram lançados há mais tempo, mas também porque expandiram seus serviços para fornecer ainda mais experiências internas.

No caso do próprio Facebook, o seu aplicativo foi pensado (inicialmente) para ser um meio de compartilhamento de fotos e eventos, recurso que porfia até hoje. Contudo, agora o app do Facebook é, também, um mercado para compra e venda de diversos produtos, uma plataforma de jogos, um localizador de amigos, entre outros.

À medida que o número de aplicativos na App Store explodiu, essas limitações passaram a ser abordadas por esses aplicativos. O Instagram fez fotos ruins parecerem boas, o WhatsApp tornou a troca de mensagens livre, o Waze nos economizou tempo e o Spotify tornou a música sob demanda acessível, e a Netflix e o Hulu fizeram o mesmo com filmes e TV, e assim por diante.

Isso implica que, enquanto os usuários baixam o mesmo número de aplicativos populares da App Store, eles optam por softwares mais antigos (que já existem há mais de cinco anos) e não aplicativos novos (que têm menos de dois anos). Segundo Feng, essa tendência também é valida para aplicativos do Google Play, onde o tempo médio de um aplicativo entre os mais populares cresceu de 18 meses, em 2014, para quase 4 anos em 2019.

Gráfico sobre a popularidade de jogos, redes sociais e apps de compras na App Store em dias.

Essa, no entanto, é uma disposição analisada por Feng para a maioria dos tipos de aplicativos, como rede sociais e compras. A exceção fica para os jogos: de acordo com ele, 85% dos jogos mais baixados da App Store apresentam um novo título a cada semana.

Embora não haja uma explicação definitiva para isso, o analista afirmou que os jogos mobile não satisfazem todos os desejos/expectativas dos usuários, fazendo-os procurar constantemente por novas opções. Isso faz sentido, afinal, muitos usuários não jogam apenas um ou o mesmo game para sempre.

Apesar dos resultados não tão animadores, Feng ressaltou que os desenvolvedores têm, sim, chances de alcançar o sucesso na App Store, mas para isso eles precisam entender três pontos. O primeiro é aceitação, já que um determinado aplicativo, se bem desenvolvido, tem potencial para alcançar o topo das paradas da loja da Maçã.

Em segundo lugar, ele explica que existem outras áreas para competir para além da App Store. Ou seja, se esse mercado se tornar muito competitivo, o desenvolvedor poderá optar por criar extensões para navegadores ou softwares de inteligência artificial.

Por fim, ele dá um dica motivacional: perseverança. Ainda que o mercado tenha se tornado mais competitivo, os empreendedores tendem a ser pessoas que gostam desse desafio para se superarem. Confira a pesquisa completa aqui.

Quanto à App Store, apesar da queda de 5% número de downloads de apps, a receita da loja vem aumentando a passos largos, desvendando cada vez mais a nova forma que os usuários estão consumindo aplicativos e serviços.

via Mashable

ver Mac Magazine
#aplicativos
#app store
#downloads
#jogos
#facebook
#internet
#popularidade
#pesquisa
#software
#apple
#top charts