55% dos deputados dizem que relação com Planalto é ruim ou péssima, diz XP

Facebook
VKontakte
share_fav

Levantamento (leia a íntegra) divulgado pela XP investimentos nesta 3ª feira (9.abr.2019) mostra uma rápida deterioração da relação entre o Poder Executivo e a Câmara dos Deputados. Entre os 201 deputados consultados pela pesquisa, 55% afirmaram que a relação da Casa com o Planalto é ruim ou péssima. Em fevereiro, apenas 12% faziam essa afirmação.

A avaliação de que o relacionamento é bom ou ótimo passou por uma igual mudança, com sinal invertido: 57% tinham essa percepção em fevereiro, contra 16% na última pesquisa. O percentual dos que classificam a relação como regular se manteve no mesmo patamar. Era de 26% em fevereiro e agora é de 25%,


A consulta aos deputados foi feita entre 26 de março e 4 de abril, período que incluiu a troca de críticas públicas entre o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e o presidente da República Jair Bolsonaro.

O levantamento fez também um recorte excluindo os deputados que classificou como de oposição. Mesmo assim, o percentual dos que criticam o relacionamento entre os poderes permanece alto: 44% dos deputados desse grupo o consideram ruim ou péssimo, enquanto 23% têm avaliação positiva.

Relacionamento individual

A percepção sobre o relacionamento individual com o governo é melhor, mas há equilíbrio entre os que o avaliam como positivo e os que o consideram negativo: 34% dizem que o contato pessoal com o Planalto é ótimo ou bom, enquanto 30% avaliam essa relação direta como ruim ou péssima.

Esses dados também mostram uma deterioração da relação. Em fevereiro, 47% tinham avaliação positiva e 19%, negativa. Segundo o levantamento, 37% dos consultados afirmam que as demandas encaminhadas ao governo são mal ou muito mal atendidas, contra 23% que as consideram bem atendidas pelo Executivo.

Previdência

Apesar da deterioração da relação com a Câmara, os deputados continuam a apoiar uma reforma da Previdência. 76% dos consultados afirmaram ver necessidade de mudanças, mesmo patamar verificado em fevereiro (77%).

Metodologia

O levantamento da XP Investimentos consultou 201 deputados, entre 26 de março e 4 de abril. De acordo com a empresa, os deputados consultados não receberam qualquer incentivo e terão suas identidades preservadas. A XP classificou como “de oposição”, congressistas de PT, PSB, PDT, PSOL, PC do B e Rede. Foram incluídos 60 deputados dessas siglas dentro da amostra de 201.

ver Blog do Fernando Rodrigues
#deputados
#legislativo
#executivo
#xp investimentos
#planalto
#governo
#câmara
#congresso
#jair bolsonaro
#rodrigo maia
#reforma da previdência
#previdência
#economia