‘Valentine’s Day’ muito além da monogamia

Photo of ‘Valentine’s Day’ muito além da monogamia
Facebook
VKontakte
share_fav

Quando Giazú Enciso, doutora em Psicologia Social especializada em afetos e feminismo, escrevia em 2001 sua tese sobre poliamor, as pessoas costumavam olhá-la com perplexidade e lhe perguntar o que era aquilo. Bem, explicava ela, a verdade é que o assunto tampouco era algo tão novo, embora o termo fosse. “Os primeiros dados sobre não monogamia vêm do Paleolítico. Nos anos sessenta e setenta já havia artigos sobre a prática de ter mais de uma relação sexual ou romântica de forma consentida. Nos oitenta, estava na moda ser swinger e a troca de casais. Mas a primeira vez que se usou a palavra poliamor foi em 1990, em um artigo. Naquela década também se falou muito de prazer feminino, e The Ethical Slut, o livro de referência de Dossie Easton e Janet Hardy, foi publicado em 1997”, recorda Enciso quase 20 anos depois de publicar seu trabalho, o primeiro em espanhol sobre o tema.

ver El País
#casamento
#emoções
#psicologia
#sexualidade
#feminismo
#filosofia
#relações gênero
#antropologia
#ciências sociais
#casal
#direitos civis
#grupos sociais
#dia dos namorados
#sociologia
#patriarcado
#relações humanas
#movimentos sociais
#amor
#ativismo lgtbiq
#lgtbiq
#mulheres
#sexo
#cultura
#generación milenial