Morre ativista que liderou denúncias contra João de Deus

Facebook
VKontakte
share_fav

Uma das primeiras mulheres a denunciar João de Deus por abuso sexual, a ativista Sabrina Bittencourt, 38 anos, cometeu suicídio neste sábado (2.fev.2018). A informação foi pela ONG Vítimas Unidas, a qual Sabrina integrava.

Em nota, a ONG diz que “2 ou 3 filhos de Sabrina ainda não sabem do ocorrido e o pai, Rafael Velasco, está tentando protegê-los“. Eis a íntegra do informativo:

O grupo Vítimas Unidas comunica com pesar o falecimento de Sabrina de Campos Bittencourt ocorrido por volta das 21h deste sábado, 2 de fevereiro, na cidade de Barcelona, na Espanha, onde vivia. A ativista cometeu suicídio e deixou uma carta de despedida relatando os porquês de tirar sua própria vida. Pedimos a todos que não tentem entrar em contato com nenhum integrante da família, preservando-os de perguntas que sejam dolorosas neste momento tão difícil. Dois dos três filhos de Sabrina ainda não sabem do ocorrido e o pai, Rafael Velasco, está tentando protegê-los. A luta de Sabrina jamais será esquecida e continuaremos, com a mesma garra, defendendo as minorias, principalmente as mulheres que são vítimas diárias do machismo”.


Antes de morrer, Sabrina divulgou 1 post no em que citava sua trajetória por bandeiras sociais. “Marielle me uno a ti. Eu fiz o que pude, até onde pude. Meu amor será eterno por todos vocês. Perdão por não aguentar, meus filhos”. Leia o post completo.

QUEM ERA SABRINA BITTENCOURT

Sabrina era de uma família que frequentava uma congregação mórmon, representada pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Foi abusada, desde os 4 anos, por integrantes da igreja. Aos 16 anos, engravidou de 1 dos estupradores e abortou.

Durante sua vida, militou para defender vítimas de abusos sexuais. Chegou a denunciar, além de João de Deus, o líder religioso Prem Babaacusado de abusar de discípulas.

Foi responsável por criar 1 movimento que combatia o “abuso no meio espiritual”. Por meio do site, vítimas de religiosos, como padres e pastores, poderiam registrar a denúncia. Sabrina, utilizando a plataforma, ajudou diversas mulheres à denunciar João de Deus.

Na semana em que vítimas registravam denúncias contra o curandeiro, Sabrina foi responsável por repassar cerca de 185 denúncias contra mais de 13 religiosos.

FILHO DE JOÃO DE DEUS PRESO

O filho de João de Deus, Sandro Teixeira, foi preso em Anapólis, neste sábado (2.fev). O Ministério Público o acusa de corrupção ativa e afirma que ele tentou atrapalhar as investigações ao manter contato com testemunhas no caso em que seu pai é investigado.

QUAL É A SITUAÇÃO DE JOÃO DE DEUS

João de Deus trabalhou desde 1976 como curandeiro na Casa de Dom Inácio, localizado na cidade goiana de Abadiânia (a 117 km de Brasília). Ele se apresenta como “médium”, designação usada no espiritismo para descrever quem teria o dom de incorporar espíritos e entidades. Não existe comprovação científica a respeito desse tipo de prática.

As primeiras acusações por crimes sexuais contra João de Deus foram feitas durante o programa “Conversa com o Bial”, da TV Globo, no dia 7 de dezembro. Na ocasião, 10 mulheres afirmaram que foram abusadas sexualmente por ele.

O MP-GO pediu a prisão de João de Deus com base em 15 acusações que fundamentam as suspeitas de crimes de estupro, estupro de vulnerável e violação sexual mediante fraude.

Ele está preso em caráter preventivo (sem prazo determinado) desde o dia 16 de dezembro no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia.

A defesa do curandeiro espera que o STF (Supremo Tribunal Federal) conceda o pedido de liberdade negado pelo Tribunal de Justiça de Goiás e pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça).

No pedido de habeas corpus, os advogados citam o estado de saúde e a idade do curandeiro e pedem que ele fique em prisão domiciliar.

João de Deus também teve prisão preventiva decretada por posse ilegal de armas de fogo. Foram encontrados R$ 400 mil e 5 armas de fogo em uma das residências dele em Abadiânia (GO). Em 28 de dezembro, o juiz Wilson Safatle Faiad, responsável pelo plantão no Tribunal de Justiça de Goiás, decidiu conceder prisão domiciliar ao curandeiro neste caso, mas ele ainda permanece preso por causa das outras acusações.

ver Blog do Fernando Rodrigues
#suicídio
#abuso sexual
#líderes religiosos
#abusos sexuais
#ativista
#brasil
#joão de deus
#caso joão de deus