Saldo da balança comercial cai 22% e fica em US$ 2,192 bilhões em janeiro

Facebook
VKontakte
share_fav

A balança comercial brasileira fechou o mês de janeiro com superavit de US$ 2,192 bilhões. O resultado é 22,4% menor que o registrado no mesmo mês de 2018, de US$ 2,824 bilhões.


Já em relação a dezembro de 2018, quando o saldo foi de US$ 6,638 bilhões, a retração foi de 67%. Os dados foram divulgados nesta 6ª feira (1º.fev.2019) pela Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia.

Exportações e importações

As exportações em janeiro somaram US$ 18,579 bilhões. Em relação ao mesmo mês do ano passado, houve alta de 9,1% pela média diária. Já na comparação com dezembro de 2018, houve retração de 13,6%.

No mês, as vendas para o exterior de produtos básicos subiram 10,1% em relação a janeiro de 2018. As de manufaturados cresceram 15,2% e as de semimanufaturados, 11,1%.

As importações tiveram uma alta ainda mais significativa na comparação anual, somando US$ 16,387 bilhões. O avanço foi de 15,4% sobre o mesmo mês do ano passado pela média diária. Em relação a dezembro de 2018, houve alta de 15,3%.

As compras de bens de capital subiram 156,2% e as de bens intermediários, 3,6%. As importações de bens de consumo, por outro lado, caíram 3,5% e de combustíveis e lubrificantes, 12,5%.

Resultado acumulado e 2019

Em 12 meses, a balança acumula saldo positivo de US$ 58,027 bilhões, queda de 13,5% sobre o período imediatamente anterior, quando fechou em US$ 67,104 bilhões.

Em 2018, o balança comercial fechou o ano com superavit de US$ 58,298 bilhões, queda de 13% em relação ao registrado no ano anterior, de US$ 66,989 bilhões. Mesmo com o recuo anual, foi o 2º melhor desempenho da série histórica, iniciada em 1989.

O Banco Central projeta nova queda no saldo da balança comercial em 2019, para US$ 38 bilhões. As exportações devem ficar em cerca de US$ 250 bilhões e as importações em US$ 212 bilhões.

ver Blog do Fernando Rodrigues
#balança comercial
#importações
#exportações
#comércio exterior
#economia
#ministério da economia