Maior Carnaval da história vai lotar hotéis de Belo Horizonte

Facebook
VKontakte
share_fav

Uma parte dos mais de 4,5 milhões de foliões que devem fazer deste o maior Carnaval da história de Belo Horizonte deve ajudar a lotar os hotéis da capital. A expectativa da rede hoteleira é de uma taxa de ocupação de até 90%, muito superior à média anual de 45% do setor local.

Para desbancar formas alternativas de hospedagem e garantir esses resultados, os estabelecimentos estão oferecendo descontos especiais e serviços diferenciados.

No Savassi Hotel, a expectativa é ocupar todos os 98 quartos. A localização privilegiada, em uma das regiões mais bem servidas de eventos na “festa do Momo”, já está fazendo com que várias reservas sejam fechadas com antecedência, segundo a gerente comercial do local, Cristiane Duarte. Em outras épocas do ano, a taxa de ocupação média no hotel gira em torno de 60%.

“Temos essa ocupação alta fora de época porque estamos na Savassi, que é uma região muito movimentada. Mas os três primeiros meses do ano são ruins para o setor aqui em BH. Nosso ano sempre começava depois do Carnaval. Agora, começa na folia”, afirma.

No Intercity BH Expo as projeções são de ocupar, pelo menos, 90% dos quartos, com alta de 150% no faturamento comparado com o Carnaval do ano passado, segundo o gerente geral, Sady César Vieira Viana. As expectativas são tão positivas que, pela primeira vez, o local vai criar uma programação especial para a data.
Dentre os serviços diferenciados estão a distribuição de “kit ressaca”, drinks e maquiadora profissional para embelezar os hóspedes pela manhã.

Os foliões que não quiserem ficar sem dinheiro no Carnaval ainda podem parcelar o valor da diária em três vezes. “Esse é o principal evento que deixa cheio o hotel sem ser no parque de exposições. Como somos do lado do parque, até então só tínhamos ocupação tão alta nesses eventos”, afirma Viana.

Descontos

Já nos quatro hotéis da Rede Bristols, em Belo Horizonte, os hóspedes terão descontos de 25%. As previsões para o grupo são de um crescimento de 10% em relação ao Carnaval passado, segundo a gerente de receitas, Marcela Saar. “A gente já percebe uma busca grande para o período, principalmente nos canais eletrônicos e em sites parceiros”, conta.

O Ramada Luxemburgo também está com preços diferenciados. A diária feita no site gera descontos de até 25%, segundo a gerente do estabelecimento, Pollyanna Mendes de Sousa. “A gente está esperando que o Carnaval mais consolidado traga resultados positivos. Nos dias da festa mesmo, poderemos alcançar até 90% da ocupação. Já contando todo o período, inclusive quarta-feira, que é mais vazio, a ocupação deve ficar em torno de 75%, afirma.

Airbnb

“O Carnaval de rua de Belo Horizonte vem crescendo nos últimos anos e atraindo pessoas de outras cidades e Estados. Nossa perspectiva é que mais viajantes curtam a folia neste ano. Eles podem conhecer a cidade por novos ângulos ao se hospedarem em imóveis via Airbnb”, disse a gerente de comunicação do grupo no Brasil, Adriana Lutfi. O Airbnb registrou 1.325 reservas para o Carnaval em BH até agora. A capital mineira foi a terceira cidade do Sudeste que mais recebeu viajantes no período, excluindo as cidades litorâneas. Ficou atrás de São Paulo e Campos do Jordão.

Hostels praticamente sem vaga

Nos hostels de Belo Horizonte, onde quem não se importa de dividir quarto paga menos na diária, as vagas estão quase esgotando a um mês e meio da festa. Em alguns casos tem até lista de espera. “A maior parte das vagas está ocupada. Quem quer se hospedar no Centro-Sul no Carnaval tem que dar muita sorte para conseguir. Os hostels que ainda não fecharam as reservas são os mais longes, que tendem a ser menos procurados”, afirma o presidente da Associação Mineira de Hostels, Igor Monteiro. Ele é proprietário do Adrena Sport Hostel, na Savassi, onde todas as camas estão ocupadas há dois meses.

No Samba Rooms Hostel também não há mais vagas. Como o telefone não para de tocar, eles criaram uma lista de espera, que já tem dez pessoas. “No Carnaval do ano passado já tinha sido bom, com uma ocupação de 85%. Mas fechamos muita cama em cima da hora, durante a festa mesmo. Foi a primeira vez que fechamos com tanta antecedência”, explica o proprietário do hostel, Leonardo Apparicio.

Com a demanda, ele até aumentou o preço mínimo, em 44%, de R$ 45 para R$ 65. Além disso, passou a fechar só pacote de, no mínimo, três dias para a data. O hostel Inconfidente Mineiro, na região da Pampulha, ainda tem vagas. Mas, por pouco tempo, conforme as projeções do casal de proprietários, Alexandra Pettersen e Antuérpio Pettersen. “Em todos os Carnavais ficamos lotados. Nosso público no período é formado por pessoas jovens e que querem curtir mesmo a folia”, afirma Alexandra

ver O Tempo - Economia