Oposição amplia estratégia de se aproximar de militares descontentes com chavismo

Photo of Oposição amplia estratégia de se aproximar de militares descontentes com chavismo
Facebook
VKontakte
share_fav

CARACAS - A oposição da Venezuela deu prosseguimento nesta sexta-feira, 18, à estratégia de se aproximar de setores das Forças Armadas descontentes com o presidente Nicolás Maduro. Em reuniões abertas, deputados da Mesa da Unidade Democrática (MUD) exortaram os militares a romper com o chavismo.

“Não queremos brigar com os militares, queremos que eles cumpram a Constituição”, disse o deputado Wiston Flores em uma reunião em Caracas. “Maduro é um usurpador e é dever dos militares tirá-lo do poder.”

Para o opositor, as últimas semanas têm demonstrado que há uma ruptura nas Forças Armadas, principalmente da detenção do presidente da Assembleia Nacional, Juan Guaidó. Mais de 20 reuniões similares foram organizadas em toda Venezuela na sexta-feira como preparação para uma grande manifestação contra Maduro convocada para o dia 23. “Haverá na ocasião uma mensagem muito forte para os militares”.

Vídeos divulgados em redes sociais mostraram nos últimos dias venezuelanos diante de quartéis pedindo que os soldados “se unam” à luta. A cúpula castrense, no entanto, beneficiada pelo comando de empresas estatais e altos cargos na burocracia de governo, além de denúncias de contrabando e narcotráfico, segue leal a Maduro, que na semana passada assumiu um novo mandato sob pressão da comunidade internacional.

A oposição prometeu anistiar civis e militares que ajudem a “restaurar a ordem constitucional”. Maduro foi reeleito no ano passado em meio a denúncias de fraude, abstenções e veto aos principais candidatos da oposição. /EFE

ver Estadão