27 governadores tomam posse em cenário de fragmentação partidária recorde

Facebook
VKontakte
share_fav

Governadores eleitos das 27 unidades federativas do país assumem o cargo nesta 3ª feira, 1º de janeiro de 2019. As posses marcam a composição com a maior fragmentação partidária da história nos governos estaduais. Foram 13 siglas com chefes estaduais eleitos. O recorde anterior era da eleição de 2014, quando 10 partidos elegeram governadores.


O partido que comandará o maior número de Estados é o PT, à frente de 4 unidades federativas no Nordeste: Bahia, Ceará, Piauí e Rio Grande do Norte.

Outras 4 legendas governarão 3 Estados: MDB, PSB, PSL e PSDB.

Duas siglas tiveram governadores eleitos pela 1ª vez: PSC e Novo. Eis como ficou o mapa do país, de acordo as siglas dos chefes estaduais:

RETROSPECTO DA FRAGMENTAÇÃO

Antes dos 13 partidos que governarão Estados a partir de 2019, o recorde de fragmentação havia sido após a eleição de 2014, quando 10 siglas venceram pelo menos uma eleição estadual.

Eis 1 infográfico com os mapas depois de cada eleição:

GOVERNADORES ELEITOS EM 1º TURNO

Em 7 de outubro, 13 candidatos tiveram mais 50% dos votos válidos e venceram o pleito já na 1ª etapa:

GOVERNADORES ELEITOS EM 2º TURNO

Neste 28 de outubro, foram eleitos 14 governadores:

Transmissões de cargo

As cerimônias são realizadas nas Assembleias Legislativas ou nas sedes dos governos estaduais. A exceção é Rondônia, onde o evento acontecerá no teatro estadual Palácio das Artes, em Porto Velho.

Sete mandatários tomam posse pela manhã e vão a Brasília para a cerimônia de posse de Jair Bolsonaro (PSL) como presidente da República. São eles João Doria (PSDB-SP), Wilson Witzel (PSC-RJ), Ratinho Júnior (PSD-PR), Ronaldo Caiado (DEM-GO), Ibaneis Rocha (MDB-DF), coronel Marcos Rocha (PSL-RO) e Mauro Mendes (DEM-MT).

As cerimônias de Doria, Witzel e Ratinho Júnior serão mais curtas que as anteriores para permitir que os governadores cheguem à capital federal a tempo.

Antonio Denarium (RR) e Comandante Moisés (SC), políticos do PSL de Bolsonaro, serão empossados à tarde em seus Estados e não poderão comparecer à transmissão de cargo do correligionário.

Outros mandatários que declararam apoio ao presidente eleito também não estarão presentes. Não vão nomes como o de Romeu Zema (Novo-MG), Eduardo Leite (PSDB-RS), Wilson Lima (PSC-AM), Gladson Cameli (PP-AC) e Reinaldo Azambuja (PSDB-MS).

Nenhum dos 9 governadores da região Nordeste aparecerá na posse do presidente eleito.

ver Blog do Fernando Rodrigues
#psd
#psb
#pdt
#joão doria
#phs
#psc
#novo
#paulo câmara
#eduardo leite
#flávio dino
#governadores
#pc do b
#dem
#renato casagrande
#renan filho
#wellington dias
#helder barbalho
#ronaldo caiado
#fátima bezerra
#camilo santana
#psl
#ratinho júnior
#reinaldo azambuja
#gladson cameli
#governo
#mdb
#psdb
#waldez góes
#mauro carlesse
#belivaldo chagas
#mauro mendes
#romeu zema
#wilson lima
#wilson witzel
#ibaneis rocha
#joão azevedo
#comandante moisés
#antônio denarium
#coronel marcos rocha