O que fazer diante de uma má contratação

Photo of O que fazer diante de uma má contratação
Facebook
VKontakte
share_fav
O preço de manter uma má contratação pode ultrapassar, com facilidade, o custo para substituí-la.

Contratações custam caro. Quando somados, os custos com recrutamento, entrevista, treinamento e desenvolvimento contínuo podem ser incrivelmente altos. No entanto, o preço de manter uma má contratação pode ultrapassar, com facilidade, o custo para substituí-la. Uma escolha errada para um cargo impacta muito mais do que o resultado financeiro da empresa.

VEJA TAMBÉM: Recrutamento às cegas aumenta diversidade nas empresas

Os profissionais contratados erroneamente não aparecem para trabalhar da forma como se portaram no momento da entrevista. O trabalho pode não ser aquilo que eles esperavam, pode não haver uma boa adaptação cultural ou uma centena de outras razões. A pergunta que você deve fazer é se vale a pena manter esses funcionários e investir neles na esperança de que melhorem ou ses será melhor reduzir suas perdas e encontrar um novo candidato. Antes de tomar uma decisão final, no entanto, há algumas coisas a serem consideradas.

Tente consertar a situação

Examine detalhadamente os motivos pelos quais o contratado não está desempenhando como esperado. Pesquise para descobrir a origem do problema. Ele está lutando para dar conta da carga de trabalho? Não entendeu completamente as responsabilidades do cargo? Falta adaptação à cultura? Existe tensão entre o novo contratado e seus colegas? Um choque de personalidade entre ele e o gerente? Não há uma resposta certa ou errada, mas, muitas vezes, a raiz do problema está em um desses cenários.

Depois de identificar o motivo, você precisa tomar medidas para tentar repará-lo. Comece por fornecer um feedback construtivo ao funcionário que destaque os problemas encontrados. Explore outros fatores que podem ter causado a dificuldade, já que ela nunca é 100% falha do novo contratado. Em casos de conflito de personalidade, concentrar-se apenas no profissional fará o cenário se agravar.

Prepare-se para uma conversa desconfortável

É preciso encarar o problema de frente, o que significa ter uma conversa direta e desconfortável com o novo contratado. Seja direto ao expressar suas preocupações. O lado positivo é que, provavelmente, o funcionário sabe que há um problema. Ao contrário de outras conversas sobre desempenho, que podem ser uma surpresa, quando o funcionário é novo ele saberá, imediatamente, por que você quer conversar.

E AINDA: 13 melhores perguntas para fazer em uma entrevista de emprego

O importante é ter uma conversa. Envolva o funcionário na discussão e obtenha feedback e opiniões. Você precisa explicar claramente o motivo da reunião e os problemas específicos que surgiram, mas também receber respostas sobre o que foi levantado. É provável que ele já tenha até reconhecido essas questões e aprecie a oportunidade de encontrar uma solução.

A conversa irá ajudá-lo a avaliar se o funcionário está disposto a mudar ou se adaptar. Se ele estiver aberto aos seus comentários e participa ativamente da conversa, isso é um sinal de que vale a pena investir nele, pelo menos a curto prazo. Caso esteja fechado e resistente, isso indica que não está suscetível à mudança. Nesse caso, você deve começar a considerar seriamente se vale a pena mantê-lo.

Compare o custo de manter o funcionário versus deixá-lo ir

Uma nova contratação é um investimento alto, mas manter um funcionário errado pode ser ainda mais caro. O impacto negativo que esse contratado pode ter na empresa é muito maior do que o financeiro. Ele pode afetar a moral, a produtividade e o desempenho dos colegas e, em casos extremos, fazer com que os outros membros da equipe comecem a procurar outras oportunidades de emprego. Todas essas possíveis consequências mostram a importância de avaliar o custo real de manter o profissional.

Ao ponderar suas opções, considere os custos imediatos e os de longo prazo. Concentre-se em todos os fatores, não apenas financeiros. Considere a quantidade de tempo que você precisaria dispor para resolver os problemas em questão. Dedicar esse tempo e dinheiro para treinar uma nova pessoa na esperança de que ele melhore vale a pena ou existe uma forma melhor de usar esses recursos?

LEIA MAIS: 6 sinais para escapar do freelancer errado

Não há uma decisão fácil, nesses casos, infelizmente. Tenha em mente que pode ser mais caro manter uma contratação ruim do que desfazê-la, não importa quanto dinheiro você tenha investido para ter o funcionário em sua equipe. A longo prazo, a contratação de outro bom candidato vai mais do que equilibrar o valor perdido anteriormente. Esta não é uma ação simples, mas, às vezes, é o melhor a ser feito.

O post O que fazer diante de uma má contratação apareceu primeiro em Forbes Brasil.

ver Forbes Brasil
#carreira
#empresa
#resistência
#contratação
#investimento
#tempo
#avaliação
#decisão
#cenário
#problema
#participação
#prazo
#medidas
#preço
#questão
#oportunidade
#tensão
#candidato
#carga
#mudança
#membros
#resultado
#financeiro
#reunião
#discussão
#surpresa
#detalhes
#feedback
#falha
#caro
#causa
#perda
#equipe
#conversa
#resposta
#desempenho
#demanda
#impacto
#equilíbrio
#profissional
#valor
#responsabilidade
#cargo
#recrutamento
#escolha
#gerenciamento
#adaptação
#gerente
#melhora
#treinamento
#solução
#reparação
#origem
#personalidade
#colega
#funcionário
#situação
#opções
#produtividade
#desenvolvimento
#explicação
#consequências
#recursos
#conflito
#trabalho
#custo
#opinião
#emprego
#motivo
#pesquisa
#dinheiro
#razão
#entrevista
#negócios
#cultura
#preocupações
#monetário
#fator