‘Ninguém recebe ou dá dinheiro sujo com cheque nominal’, afirma Bolsonaro

Facebook
VKontakte
share_fav

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, negou neste sábado (8.dez.2018) qualquer irregularidade nos depósitos realizados na conta de sua mulher, Michelle, por Fabrício Queiroz, ex-motorista do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ).

Ele disse que os depósitos na conta da mulher, no valor de R$ 24.000, se referem ao pagamento de uma dívida de R$ 40.000 de Queiroz.

“Em outras oportunidades eu já o socorri financeiramente. Nessa última agora houve 1 acúmulo de dívida da parte dele para comigo e resolveu me pagar com cheques. Não foi 1 cheque de R$ 24.000. Foram, na verdade, 10 cheques de R$ 4.000″.


O presidente eleito afirmou que o dinheiro foi depositado na conta de Michelle por “questão de mobilidade”, já que ele tem dificuldade para ir ao banco em razão da rotina de trabalho. No início de novembro, após ter sido eleito, Bolsonaro foi ao banco 3 vezes em menos de 4 dias.

O caso

Segundo relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), houve movimentações financeiras atípicas no valor de R$ 1,2 milhão na conta do ex-assessor e ex-motorista de Flávio, de janeiro de 2016 a janeiro de 2017.

O documento é fruto do desdobramento da Operação Furna da Onça, ligada à Lava Jato no Rio.

Bolsonaro falou que é amigo de Queiroz desde 1984 e que espera que o ex-assessor se explique na Justiça a respeito da movimentação atípica.

Para o presidente eleito, o motivo dos vazamentos foram “desviar a atenção”.

“Conversei rapidamente com o Flávio, ele está bastante abatido também. Esse pente fino do Coaf foi feito no início do ano e o Coaf não vazou nada, pelo que eu sei. Foram advogados dos parlamentares que estão presos ou que estão respondendo a processos que vazaram isso daí pra tentar aí desviar o foco da atenção deles”.

Bolsonaro disse ainda que não declarou os valores emprestados à Receita Federal por terem sido pequenos a cada ano, mas que se acumularam, chegando ao total de R$ 40.000.

“O empréstimo foi se avolumando, de 1 ano pro outro, R$ 10.000, mais R$ 10.000, se eu errei perante o Fisco, eu arco com as minhas responsabilidades perante o Fisco, sem problema nenhum”.

Assista abaixo:

Briga no PSL

O presidente eleito lamentou a briga entre atuais e futuros deputados federais do PSL. Eles disputam internamente para saber quem comandará a legenda dentro do Congresso em 2019.

Bolsonaro disse que conversará com os congressistas em uma reunião na próxima semana, em Brasília.

“Já tive reuniões com 4 partidos, semana que vem estão previstos mais 2 ou 3, o PSL é 1 deles. PSL é 1 partido bastante novo, dos 52 deputados, 48 se não me engano, são novos, e estão brigando por espaço. Lamento isso daí”.

Cirurgia

Bolsonaro disse que deve ir a São Paulo na próxima 5ª feira (13.dez) para novos exames médicos. Ele se recupera se uma facada sofrida no abdômen durante a campanha e utiliza uma bolsa de colostomia.

Segundo ele, se for possível, gostaria de antecipar a cirurgia de retirada da bolsa para dezembro ou adiar para fevereiro. Disse que quer ir ao Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, que será realizado de 22 a 25 de janeiro.

Pirassununga

Após a entrevista coletiva no Rio de Janeiro, o presidente eleito contou que ontem (7.dez) confundiu os remédios e dormiu e, com isso, acabou perdendo o compromisso em Pirassununga. Ele afirmou, entretanto, que está se sentindo bem.

(com informações da Agência Brasil)

ver Blog do Fernando Rodrigues
#coaf
#psl
#governo
#flávio bolsonaro
#jair bolsonaro
#michelle bolsonaro
#operação furna da onça
#pirassununga
#fabrício queiroz