A jornalistas estrangeiros, Temer elogia política de privatização de Guedes

Facebook
VKontakte
share_fav

O presidente Michel Temer disse nesta 5ª feira (6.dez.2018) que a política de privatização do futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, pode ser boa para o país.

A declaração foi dada em entrevista a jornalistas da imprensa estrangeira, no Palácio da Alvorada.


Temer afirmou que o poder público não tem condições de acolher todas as atividades do país. Para o presidente, as únicas áreas que devem continuar sob a tutela do Estado brasileiro são segurança, educação e saúde.

Privatização é algo que deu certo no Brasil, portanto, quanto mais privatizar eu acho melhor, sem mexer muito nesses setores fundamentais”, afirma.

O chefe do Estado brasileiro também falou sobre a reforma da Previdência. Disse que o presidente eleito, Jair Bolsonaro, tem pressa na aprovação da idade mínima e afirmou que o melhor caminho seria aproveitar a proposta apresentada pelo seu governo.

Eu sugiro que se possa aprovar a nossa proposta. Já está prevista lá, seria muito útil. Tem a vantagem que já tramitou, seria só aprovar na Câmara e no Senado, em 2 turnos”, disse.

A hipótese está no radar de Bolsonaro. Na 4ª feira (5.dez) disse que pretende votar a reforma de forma fatiada para facilitar a aprovação. A ideia é começar pela idade mínima. O presidente eleito disse que é uma ideia que “está bastante forte”.

A proposta do governo Temer institui a idade mínima gradativamente, ao longo de 20 anos, até chegar a 62 anos para mulheres e 65 para homens, o que facilitaria a aprovação das mudanças pela sociedade.

Temer migrará para a carreira jurídica

Michel Temer disse ainda que, quando deixar a Presidência, deve se dedicar à área jurídica.

Sobre denúncias de corrupção em que seu nome está envolvido, o emedebista afirmou não se preocupar e que “qualquer mente jurídica mais apurada vai ver que são pífias”. O presidente disse ainda que se sente “injustiçado”, mas já se acostumou.

(com informações da Agência Brasil)

ver Blog do Fernando Rodrigues
#imprensa estrangeira
#governo
#privatização
#paulo guedes
#michel temer