Acusado de liderar desvios na saúde do AM, empresário investiu em sertanejos

Acusado de liderar desvios na saúde do AM, empresário investiu em sertanejos

Bahia Notícias

Responsável pela carreira de nove artistas sertanejos, a empresa Audiomix, recebeu investimentos de Mouhamad Moustafa, médico preso em setembro por suspeita de comandar um esquema que desvio R$ 115 milhões da saúde do Amazonas. Ele é sócio-administrador da Salvare Serviços Médicos Ltda. Segundo reportagem do programa Fantástico, da TV Globo, com informações da Polícia Federal, Moustafa aplicou cerca de R$ 30 milhões na empresa, comprando os direitos de quatro artistas: os cantores Israel Novaes, Jeferson Moraes, Rafaela Miranda e a dupla Matheus e Kauan. Em uma ligação telefônica interceptada, Moustafa revela que a decisão de investir na empresa foi tomada após a morte do cantor Cristiano Araújo, em acidente de trânsito em junho do ano passado. "Foi bom eu ter entrado, o Cristiano morrido, eles ficarem ruim das pernas e eu ter entrado. Se não fosse o help que eu dei, 10 pau de cara, 10 milhões, eles tinham se f****", afirma Moustafa. Em entrevista ao Fantástico, o advogado da Audiomix, Luiz Flávio D'Urso, afirmou que a empresa recebeu R$ 20 milhões, dos quais somente R$ 8 milhões já foram compensados. Ele informou ainda que o empresário tinha as boas referências e por isso foi aceito como investidor. "É pouco provável que o pagamento continue, portanto os contratos vão se encerrar. Se tudo isso se comprovar, a Audiomix é mais uma vítima desse Mouhamad", garantiu D'Urso.

view Bahia Notícias