Acusado de liderar desvio de R$ 115 mi na saúde do AM, empresário investiu em sertanejos

Acusado de liderar desvio de R$ 115 mi na saúde do AM, empresário investiu em sertanejos

Bahia Notícias

Responsável pela carreira de nove artistas sertanejos, a empresa Audiomix, recebeu investimentos de Mouhamad Moustafa, médico preso em setembro por suspeita de comandar um esquema que desvio R$ 115 milhões da saúde do Amazonas. Ele é sócio-administrador da Salvare Serviços Médicos Ltda. Segundo reportagem do programa Fantástico, da TV Globo, com informações da Polícia Federal, Moustafa aplicou cerca de R$ 30 milhões na empresa, comprando os direitos de quatro artistas: os cantores Israel Novaes, Jeferson Moraes, Rafaela Miranda e a dupla Matheus e Kauan. Em uma ligação telefônica interceptada, Moustafa revela que a decisão de investir na empresa foi tomada após a morte do cantor Cristiano Araújo, em acidente de trânsito em junho do ano passado. "Foi bom eu ter entrado, o Cristiano morrido, eles ficarem ruim das pernas e eu ter entrado. Se não fosse o help que eu dei, 10 pau de cara, 10 milhões, eles tinham se f****", afirma Moustafa. Em entrevista ao Fantástico, o advogado da Audiomix, Luiz Flávio D'Urso, afirmou que a empresa recebeu R$ 20 milhões, dos quais somente R$ 8 milhões já foram compensados. Ele informou ainda que o empresário tinha as boas referências e por isso foi aceito como investidor. "É pouco provável que o pagamento continue, portanto os contratos vão se encerrar. Se tudo isso se comprovar, a Audiomix é mais uma vítima desse Mouhamad", garantiu D'Urso.

view Bahia Notícias