Eliminação do Fortaleza termina em confronto entre torcedores e policiais

Folha Vitória Esportes

Fortaleza - O fracasso do Fortaleza no jogo que valia o acesso para a Série B do Campeonato Brasileiro de 2017 terminou em tumulto, no Castelão, no domingo à noite. Após o empate por 1 a 1 com o Juventude, resultado que manteve o time cearense na Série C, torcedores do Fortaleza revoltados quebraram dezenas de cadeiras e as arremessaram no gramado, contra os jogadores do time cearense. O público pagante recorde do ano no futebol brasileiro foi de 63.903 pessoas com uma renda de R$ 2.356.087.

Houve briga entre torcedores do Fortaleza e do Juventude. A polícia tentou separar as torcidas com gás pimenta e balas de borracha. Os torcedores revidaram com morteiros. A polícia registrou ainda depredações na avenida Silas Monguba, que fica no entorno do Castelão, e no Terminal de Ônibus da Parangaba. Ninguém foi preso. A Luarenas, empresa que administra o estádio, não divulgou balanço sobre as ocorrências.

O Fortaleza vai para o oitavo ano seguido na Série C. O time caiu em 2009 e não mais voltou para Série B, "batendo na trave", nas quartas de final, nos últimos quatro anos. Em 2013 perdeu para o Oeste, com centenas de cadeiras sendo quebradas no Estádio Presidente Vargas. Em 2014, o desastre foi contra o Macaé, desta vez no Castelão, com centenas de cadeiras sendo lançadas no gramado.

O fato se repetiu em 2015 contra o Brasil de Pelotas, onde novamente centenas de cadeiras foram quebradas. Em 2013, o Fortaleza foi despachado pelo Sampaio Correa, também no Castelão, ainda na fase classificatória. Novamente os torcedores quebraram centenas de cadeiras.

view Folha Vitória Esportes