Temer critica movimento contra a PEC do teto dos gastos públicos: 'Não pode ser admitido'

Temer critica movimento contra a PEC do teto dos gastos públicos: 'Não pode ser admitido'

Bahia Notícias

O presidente Michel Temer (PMDB) criticou o posicionamento de setores sobre a PEC do teto dos gastos públicos em jantar com deputados no Palácio da Alvorada, na noite deste domingo (9), e disse que qualquer movimento corporativo contra a proposta "nãk pode ser admitido". O peemedebista não citou nomes, mas a declaração veio depois que a Secretaria de Relações Institucionais da Procuradoria-Geral da República divulgou um parecer que indica inconstitucionalidade na proposta do governo. "Todo e qualquer movimento de natureza corporativa que possa tisnar a PEC do teto não pode ser admitido. De modo que vocês fazem um trabalho extraordinário no Legislativo brasileiro e este fato, o fato de aprovarmos, numa segunda-feira, antevéspera de um feriado, uma matéria de tamanha relevância, tamanha importância, vai ganhar o aplauso de todo o povo brasileiro", declarou. De acordo com o G1, o áudio da reunião foi divulgado pela própria assessoria do presidente, já que o encontro foi fechado para a imprensa. Temer disse ainda que a aprovação da PEC será "uma vitória para a classe política". A PEC do teto dos gastos estabelece limite de despesas para a União, que só poderão crescer pelos próximos 20 anos conforme inflação do ano anterior. A PEC já foi aprovada pela comissão especial da Câmara criada para analisar a proposta e deve ser votada em dois turnos no plenário da casa, antes de seguir para o Senado. A expectativa do Planalto é que a matéria passe em primeiro turno nesta semana na Câmara. No jantar, os economistas José Márcio Camargo, professr da PUC-RJ, e Amando Castellar, professor da Fundação Getúli Vargas (FGV), apresentaram os principais pontos da PEC. Os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB), também discursaram sobre a proposta.

view Bahia Notícias