Aproveitamento de Ricardo Gomes no São Paulo é pior que o de Bauza

Aproveitamento de Ricardo Gomes no São Paulo é pior que o de Bauza

Gazeta Esportiva
Ricardo Gomes já vinha de maus resultados no Botafogo antes de assumir o São Paulo (Foto: Fernando Dantas)

Edgardo Bauza não saiu do São Paulo pela porta dos fundos. Longe de ser unanimidade entre os torcedores, o técnico gozava de prestígio dentro da diretoria e tinha o respaldo de Gustavo Vieira e Oliveira, homem forte do futebol tricolor à época, e do presidente Leco. Sua saída se deu diante do convite para assumir a seleção argentina. Alguns enxergaram a ocasião como ideal para a troca no comando sem o desgaste de uma demissão.

Isso porque o baixo aproveitamento de Patón Bauza já incomodava à frente da equipe já incomodava. Sob seu comando, o São Paulo conseguiu 16 vitórias, 13 empates e foi derrotado 18 vezes. O que lhe rendeu um aproveitamento de apenas 43,2%. Além disso, a equipe fez um Campeonato Paulista ruim, no qual acabou eliminada nas quartas de final depois de uma goleada imposta pelo Osasco Audax.

Edgardo Bauza deixou o São Paulo com mais derrotas do que vitórias (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

Edgardo Bauza deixou o São Paulo com mais derrotas do que vitórias (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

A campanha na Copa Libertadores da América era o que ‘segurava’ Bauza. Mesmo com uma primeira fase de muitos tropeços e vexames, o clube do Morumbi conseguiu se classificar na bacia das almas e acabou alcançando à semifinal, quando sucumbiu frente ao Atlético Nacional dentro e fora de casa. Na derrota no Morumbi o técnico argentino acabou apontado como o grande vilão.

A chegada de Ricardo Gomes trouxe esperança. Leco fez questão de apresentar o novo comandante na sala de imprensa do CT Rei Pelé e não poupou elogios ao ex-zagueiro. O mandatário certamente não imaginava que o cenário seria ainda pior pouco mais de um mês depois.

Com Ricardo Gomes à beira do campo, o São Paulo venceu apenas três vezes, foi derrotado em quatro jogos e não passou de um empate em mais quatro partidas. O time foi eliminado pelo Juventude, equipe da Série C, na Copa do Brasil e ocupa a 14ª colocação no Campeonato Brasileiro três abaixo de quando Bauza se despediu. O aproveitamento é de 39.3% e a zona de rebaixamento aparece apenas três pontos (36 a 33) atrás.

Ricardo Gomes já vinha de maus resultados no Botafogo antes de assumir o São Paulo (Foto: Fernando Dantas)

Ricardo Gomes já vinha de maus resultados no Botafogo antes de assumir o São Paulo (Foto: Fernando Dantas)

Alguns problemas na equipe seguem sem solução. Se com Bauza o São Paulo tinha um péssimo desempenho fora de casa, nada mudou com Ricardo Gomes. O argentino conseguiu apenas duas vitórias como visitante. Fora isso, foram 11 derrotas e 11 empates. O atual técnico superou apenas o Juventude longe de seu território, arrancou dois empates e perdeu três vezes.

Muitos são-paulinos lembraram da primeira passagem de Ricardo Gomes à frente do time do Morumbi assim que o ex-jogador foi anunciado. Na ocasião, depois de pegar a equipe na parte de baixo da tabela, Gomes conseguiu levar o grupo à briga pelo título até a última rodada. Ricardo Gomes durou 73 partidas, sendo 38 vitórias, 15 empates e 20 derrotas, o que totaliza um aproveitamento de 58,9%.

Mas, nesta temporada, antes de retornar ao CT da Barra Funda, o técnico já vinha apresentando dificuldades. O Botafogo conquistou apenas cinco vitórias nos 17 confrontos que disputou neste Brasileirão sob o comando de Ricardo Gomes, que deixou o time na zona de rebaixamento. Depois de sua saída, o Glorioso reagiu e ao fim da 29ª rodada já é o 7º colocado, vislumbrando uma vaga na zona de classificação à Libertadores do ano que vem.

O post Aproveitamento de Ricardo Gomes no São Paulo é pior que o de Bauza apareceu primeiro em Gazeta Esportiva.

view Gazeta Esportiva