Mortes: Na Alemanha, a última volta do parafuso

Folha de S. Paulo

Aos 15, Parafuso deixou a Paraíba para tentar a sorte no Rio. Subiu num pau de arara e por nove dias chacoalhou, sonhando em ser jogador de futebol. Quando foi ao teste no Flamengo, porém, não tinha chuteiras. Então lhe deram umas maiores que os pés, pouco afeitos ao artefato. Quando o chute saiu, o calçado foi junto com a bola –e o sonho– pelos ares. Leia mais (10/10/2016 - 00h00)

view Folha de S. Paulo