EUA criam plano para gerir poluição sonora que ameaça vida de espécies marinhas

R7 - Mulher

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais[caption id="attachment_618587" align="aligncenter" width="620"] Reprodução/Natural Resources Defense Council[/caption]O governo dos EUA introduziu um novo plano para gerir a poluição sonora nos oceanos. A Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA) traçou uma estratégia de 10 anos chamada Ocean Noise Strategy Roadmap para reduzir os impactos sonoros sobre os mamíferos marinhos.Os sons desempenham um papel crítico quando se trata da sobrevivência de animais que vivem nos oceanos. Baleias e golfinhos o usam para encontrar alimentos e para comunicação."Quando você considera o ambiente acústico subaquático, é necessário ter em mente que os sons viajam incrivelmente bem debaixo d'água", explicou Jason Gedamke, do NOAA, e principal autor do Ocean Noise Strategy Roadmap cujo objetivo é o de administrar os ruídos que as atividades humanas geram nos mares.Segundo Gedamke, estudos mostram que a poluição sonora de navios, sonares e atividades militares tem aumentado ao longo do tempo: "Em apenas uma fração do tempo em uma escala evolutiva, nós realmente alteramos o ambiente acústico subaquático”.A ecologista marinha Leila Hatch afirmou que o maior contribuinte para a poluição sonora é a indústria naval, informou o Hawaii Public Radio."Todos estes ruídos possuem um efeito arrebatador sobre a vida no mar", disse Michael Jasny, diretor do Projeto de Proteção de Mamíferos Marinhos do Conselho de Defesa de Recursos Naturais.Ele explica que a poluição sonora acarreta sérios problemas nos animais desde perda de audição, interrupção nos padrões de reprodução e até mesmo a morte. Porém, ele é otimista sobre o desenvolvimento de uma estratégia para lidar com esta questão grave."Isso marca uma mudança radical na forma como o governo lida com o que todos nós sabemos ser um sério problema”, declarou.

view R7 - Mulher