Sucesso na Carreira: Assédio moral: O inimigo silencioso

поделиться
поделиться
favourite

O Dia

- As humilhações ocorrem com agressões verbais, gritos, depreciação do profissional e até agressões físicas -

Rio - Será que você já sofreu assédio moral no trabalho? Essa não é uma situação rara e alguns chefes têm atitudes que podem ser classificadas como assédio moral. As humilhações ocorrem com agressões verbais, gritos, depreciação do profissional e até agressões físicas. Nestes casos, a empresa pode ser responsabilizada por não fiscalizar a conduta de seus funcionários e sofrer ação trabalhista movida por quem foi importunado.

Pergunta e resposta

“Sou supervisor e há dois anos sofro humilhações e perseguições do meu chefe. O que fazer para evitar a situação e me manter estável no emprego?” Vicente, Campo Grande

Olá Vicente! O assédio moral não deve ser confundido com conflitos eventuais do dia-a-dia. O Poder Judiciário define o assédio moral como “o atentado contra a dignidade humana. Situação em que uma pessoa ou um grupo de pessoas exerce uma violência psicológica extrema, de forma sistemática, frequente e durante tempo prolongado sobre outra pessoa que se desestabiliza psicologicamente”.

A lei prevê que para casos de marginalização no ambiente de trabalho, procede a indenização por dano moral. A pressão psicológica pode existir, não só do chefe para com o subordinado, mas também entre colegas de trabalho. Caso a empresa tenha um RH confiável e ativo, é possível denunciar o chefe, com provas concretas e inquestionáveis, e com o apoio de colegas que também sofreram assédio.

O processo judicial é importante para ressarcir danos morais e ajudar tanto na mudança do comportamento das chefias quanto das empresas. Boa sorte e até a próxima semana!

Janaina Ferreira é coach e professora do Ibmec

посмотреть на O Dia