“A revolução na educação não pode passar por um corte de recursos”, defende economista

“A revolução na educação não pode passar por um corte de recursos”, defende economista

R7
Professor destaca que o modelo brasileiro poderia se inspirar no sul-coreano Alexandre Saconi/R7

Qual o segredo para melhorar a educação no Brasil? Embora a resposta óbvia possa parecer “investir”, a maneira como os recursos são dedicados faz muita diferença na hora da execução dos planos educacionais.

O diretor do MBA da FAAP (Fundação Armando Alvares Penteado) e consultor de empresas, Tharcisio Souza Santos, defende uma reforma completa no modelo educacional brasileiro, destacando que os investimentos precisam ser feitos com o tempo. Tharcisio também critica os políticos que não priorizam a área por ela não dar votos.

— A gente precisa fazer uma revolução na educação, e a revolução na educação não pode passar por um corte de recursos. E eu não acho que o problema seja, por exemplo, não cortar o Fies (Fundo de Financiamento Estudantil). Eu não acho que o problema seja não cortar o Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego). Porque, na minha opinião, o Fies e o Prontec são entulhos de uma péssima gestão educacional que o País tem e que faz de conta que leva a sério, e faz de conta que funciona.

Leia mais notícias de Brasil no Portal R7

R7 Play: assista à Record onde e quando quiser

O professor ainda destaca que o modelo brasileiro poderia se inspirar no sul-coreano, que conseguiu realizar um salto na educação, partindo de um PIB per capita inferior ao do Brasil.

— Na realidade, a educação brasileira está toda errada.

Tharcisio também lembra que é preciso ter educação integral para as crianças e mais investimento na educação básica como ferramentas de transformação. Veja no vídeo abaixo:

view R7