Felipe Veloso e o estilo carioca de ser

Felipe Veloso e o estilo carioca de ser

GQ Brasil


Stylist de nomes como Caetano Veloso e Chay Suede, Felipe Veloso é daqueles que você reconhece de longe. Alto, cabelos longos e barba comprida (que recentemente circulou por aí tingida de rosa). E estilo, muito estilo. Numa cidade como o Rio de Janeiro, onde predominam altas temperaturas dia sim dia também, a informalidade, ele lembra, é cortesia da casa. E diz que a conexão entre o morro e o asfalto coloca os homens (quase) no mesmo patamar. O corpo, diz Felipe Veloso, é o principal reflexo do carioca's way of life. Acompanhe os melhores trechos do bate-papo do blog com o stylist:

O carioca e o verão
Não é só o verão que faz o estilo carioca, são várias as situações. Tem a situação física de estar na praia, de sunga, um body language que é sexy ao olhos das pessoas. A praia influencia nisso também, na informalidade, no jeito mais relaxado de se vestir. A gente tem, no Rio, uma realidade socioeconômica particular, o carioca é mais mimético. E muito ligado ao corpo, ao bronzeado, o cabelo queimado de sol. O gatinho aqui não faz muita diferença se ele é filho do porteiro ou do empresário. Essa informalidade está também influenciada por isso. No Rio temos muito mais situações diurnas do que noturnas. After (party) no Rio é uma coisa que não emplaca muito, as pessoas querem curtir a praia no dia seguinte. Por isso a moda também é mais vibrante de cor, porque combina com isso, tem um pouco mais de alegria no jeito de se vestir.


A tendência do agora
Antigamente a gente tinha modismos mais pontuais, as informações demoravam pra chegar e muito mais pra sair. Os modismos hoje em dia acabam ou são muito voláteis. Claro que todo mundo quer estar na moda, mas não vejo mais esses modismos tão predeterminados. Mas temos visto hoje que os cariocas têm gostado mais de usar meias coloridas. Isso se vê também nas camisas. A camisa florida, que antigamente era uma coisa de gringo, estão começando a ser usadas pelos cariocas, assim como bermudas floral print. Tem uma liberdade maior. A própria mistura de estampas, com bermuda floral e camisa listrada. Ainda temos uma sociedade muito machista, mas o colorido está se incorporando mais facilmente nas pessoas. E também nas vitrines.

Felipe Veloso e a barba rosa (Foto: Reprodução/Instagram)

Usar ou não usar, eis a questão
Tem umas coisas que são estranhas num carioca. Acho estranho, por exemplo, o carioca usar um blazer, não só pelo calor mas pela pontuação formal que coloca. Sapato também não acho muito típico de carioca, se usa mais tênis ou um sapato esportivo. O carioca, muitas vezes, não tem hábito de usar o blazer e sapato e sem querer usa de maneira menos correta, menos harmônica. Em contrapartida, é legal identificar que o look geral de um carioca nos ambientes fora da cidade, é sempre aquele menino que parece que está suado demais, descabelado demais.

Pés (quase) descalços
A relação do carioca com estar pés quase descalços muito próxima. O chinelo aqui é visto com um ar de legal, cool, despojado, mesmo em restaurantes, a não ser os mais formais. Mesmo o estrangeiro gosta de botar uma camisa de linho, uma bermuda e um chinelo. Tem uma coisa um pouco exótica de usar o chinelo com camisa de botão. Aqui é bem aceito.


Dress Code
Eu não sou um cara careta. Mas acho interessante na vida seguir alguns protocolo. Eles não são pra encaretar, mas para exercitar alguns vestiários. Acho legal me arrumar, botar um sapato para ir ao Teatro Municipal e fico triste quando vejo um carioca burlar essa situação. É chato também quando você tem um prêmio, que é black tie e as pessoas não vão de black tie. As pessoas aqui não se permitem seguir protocolos, e isso é chato, de não entender que algumas regras não devem ser entendidas como um aprisionamento.

Felipe Veloso (Foto: Reprodução/Instagram)


O sungão fica
Desde o fim dos anos 70 quando veio as sungas mais marcadas, e nos anos 80 os body shorts, eu vejo esses modismos atravessarem. Mas o carioca gosta de sunga larga e grande. Até tem modismo que tenta emplacar, de shortinho de praia menor, ou sunga estampada, mas isso não chega a ser significativo em termos de modismo no Rio de Janeiro. Ainda somos muito presos ao sungão. Talvez os shorts diminuam, como já vemos em alguns lugares, mas a sunga dificilmente vai mudar.

Meninos do Rio
O estilo do carioca está muito mais ligado ao temporamento, ao bronze dele. Eu acho isso muito louco. O lifestyle se traduz muito mais no carioca, no cara, do que na roupa dele. A gente está mais retratado num fenótipo do que num jeito de se vestir. Engraçado. Quando você vai pra outros lugares, você percebe um carioca muito mais pelo bronzeado do que pelo terno ou o tipo de alfaitaria. De um modo geral, tem uma galera carioca, muito jovem e bacana, que é um pouco mais mimética. Os meninos que fazem a festa RARA, o Francisco Frodizi e o Felipe Raposo, por exemplo. Tem uma relação muito forte com música e esporte no get together carioca. O carioca se mistura.

view GQ Brasil