atentado paris 13 n

Leitura dos nomes das 130 vítimas rompe o silêncio de Paris

Leitura dos nomes das 130 vítimas rompe o silêncio de Paris

Hollande inaugura, na presença de parentes dos que foram mortos, sete placas nos lugares atacados, há um ano, pelos jihadistas
Molenbeek, um ano depois: mais radicais, mais vigiados

Molenbeek, um ano depois: mais radicais, mais vigiados

No bairro com maioria muçulmana, onde foram tramados os atentados de 2016 em Bruxelas, a desesperança cresce entre os jovens, junto com a pressão policial
França busca retomar normalidade dois anos depois do atentado do Bataclan

França busca retomar normalidade dois anos depois do atentado do Bataclan

Sucessão de ataques islamistas desde 2015 e longo estado de exceção tornam difícil para os cidadãos virar a página