La Plata terá uma recontagem sob medida para Cristina

Facebook
VKontakte
share_fav

As eleições legislativas argentinas são só no dia 22 de outubro, mas a disputa que pode marcar o retorno da ex-presidente Cristina Kirchner à política está cada vez mais quente. Nesta quarta-feira, às 8h, no Teatro Argentino da cidade de La Plata, começa a recontagem dos votos da província de Buenos Aires, onde Cristina é candidata ao Senado, e onde o resultado das primárias aponta para empate com o candidato do governo, Esteban Bullrich – cada um somando 34% dos votos.

Às Sete – um guia rápido para começar seu dia

Leia também estas outras notícias da seção Às Sete e comece o dia bem informado:

As eleições primárias foram realizadas no último domingo e, apesar de a coalizão governista “Cambiemos” ter vencido em províncias importantes como Santa Fe, Córdoba e até no reduto kirchnerista Santa Cruz, os olhos estão voltados para a província de Buenos Aires, a mais importante politicamente. Não só por concentrar 40% do eleitorado, mas por ser onde Kirchner está disputando um cargo, 19 meses após deixar o poder.

As investidas dela contra o presidente Mauricio Macri, mirando as eleições presidenciais de 2019, já começaram. Além de ter pedido recontagem dos votos, alegando manipulação de urnas pelo governo, seu partido, a Frente Unidade Cidadã, quer derrubar um dos mais importantes projetos de Macri no Congresso.

Para esta quarta, está convocada uma sessão para discutir a revogação do decreto 797, instiuído há um ano com a intenção de destinar 80 bilhões de pesos (cerca de 15 bilhões de reais) para obras de infraestrutura. Desses, 45 bilhões de pesos seriam para o soterramento da linha férrea de Sarmiento, mas os deputados kirchneristas defendem que essa verba é suja, uma vez que a obra seria realizada por consórcio formado por Odebrecht, que financiou a campanha de Macri e admitiu ter pago propinas no país, e pela empresa IECSA, que era de Angelo Calcaterra, primo do presidente.

Outros escândalos ainda devem ser revirados até as eleições, e podem interferir nos resultados. Também nesta quarta, na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados brasileira, uma audiência púbica vai discutir irregularidades na venda da Petrobras Argentina, em maio de 2016, para a Pampa Energia, do empresário Marcelo Mindlin, que tem relações próximas tanto com Kirchner quanto com Macri. Para Cristina, quanto mais insegurança no ar, melhor.


Arquivado em:MUNDO
ver EXAME
#cristina kirchner
#exame hoje
#mauricio macri
#senado