32 milhões de reais para resgatar Rembrandt e Vermeer

Facebook
VKontakte
share_fav

O museu Isabella Stewart Gardner, de Boston (Estados Unidos), sofreu em 1990 um dos maiores roubos da história da arte. Os ladrões levaram 13 peças da coleção, avaliadas em 428 milhões de euros (1,5 bilhão de reais). Entre elas, os dois quadros mais valiosos já roubados no país: O Concerto (1665), de Johannes Vermeer, e Tempestade no Mar da Galileia (1663), a única obra marinha de Rembrandt. Vinte e sete anos depois, com as obras ainda desaparecidas, o museu oferece 10 milhões de dólares (32 milhões de reais) em troca de informações confiáveis. A oferta estará vigente até o final do ano e é a maior do tipo até hoje. O FBI sabe a identidade dos dois ladrões, já falecidos, mas existem opiniões divergentes sobre o paradeiro das obras. O escritório de investigação criminal norte-americano acredita que continuam no país. Por outro lado, o holandês Arthur Brand, que recupera obras de arte, diz que estão com o Exército Republicano Irlandês (IRA).

ver El País
#museus
#grupos terroristas
#instituições culturais
#artes plásticas
#pintura
#fbi
#quadros
#arte
#rembrandt
#johannes vermeer
#ira