Bens de Lula são "milhares de cartas do povo", não uma "ferrari", diz Okamotto

Facebook
VKontakte
share_fav

Categoria:

Justiça
Cíntia Alves
Foto: Heinrich Aikawa/Instituto Lula
Jornal GGN - Em audiência na Justiça Federal em Curitiba, na quarta-feira (4), Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula, explicou ao juiz Sergio Moro e aos procuradores da Lava Jato como se deu o "apoio cultural" da OAS, então comandada por Leo Pinheiro, à manutenção do acervo do ex-presidente Lula.
Okamotto começou seu depoimento denotando que a Lava Jato e a grande mídia fazem parecer que Lula mantém guardado um veículo de luxo do tipo "ferrari", quando, na verdade, a grande parte dos bens acumulados pelo petista no período em que esteve na Presidência da República é formada por "cartas do povo brasileiro", agradecendo pelos programas criados no governo do PT, criticando outras ações e sugerindo ideias. "Isso não fez parte de nenhuma acerto [de propina entre PT e OAS]", assegurou Okamotto. "Foi uma contribuição de uma empresa em apoio a Lula", disse a Moro.

leia mais

ver Blog do Luis Nassif
#luis nassif online
#cíntia alves
#léo pinheiro
#paulo okamotto
#a cervo presidencial