Processos por suposto remédio anticâncer emperram jurídico da USP

Facebook
VKontakte
share_fav

Os processos de pacientes que exigem na Justiça o direito de obter a fosfoetanolamina se tornaram tão numerosos que triplicaram o volume de trabalho da Procuradoria Geral da USP, que cuida do tema. Leia mais (03/02/2016 - 02h00)

ver Folha de S. Paulo